Título da Libertadores de 1981 completa 40 anos, quatro dias antes da decisão de 2021.
Geração de 81 do Flamengo comemora conquista da primeira taça da Copa Libertadores. Foto: Reprodução/Internet.

Em 2020 o Flamengo teve uma grande perda no departamento do clube. Nesse sentindo, o massagista Jorge Luiz Domingos, mais conhecido como Jorginho, faleceu vítima das complicações da Covid-19. O massagista era o mais antigo funcionário da delegação, e consequentemente, o único bicampeão da Libertadores com o Mais Querido. A família abriu a coleção do parente para o “GE” conferir de perto a história do eterno massagista.

Siga Diário do Fla no Twitter

Em anos no Flamengo, Jorginho colecionou momentos que entraram para a história do clube. Dessa forma, desde 1980 no Mais Querido, o massagista acompanhou de perto a geração vitoriosa de Zico e companhia. Sendo assim, o funcionário esteve presente nas maiores vitórias do clube, na Libertadores e Mundial de 81

Além disso, Jorginho também teve o prazer de participar da atual geração do clube. Ou seja, também foi peça fundamental para o tratamento dos atletas da conquista do bicampeonato da Libertadores em 2019. Após 40 anos de serviços, o massagista era o único bicampeão legítimo do torneio continental ainda no clube.

Siga Diário do Fla no Instagram

O massagista também está na história da CBF. Nesse sentindo, Jorginho fez parte da delegação da Seleção Brasileira que conquistou a Copa da Coréia e do Japão, em 2002. Em sua casa é possível vivenciar todas as memorias do ex-massagista, como medalhas conquistas, fotos com jogadores e até mesmo camisas autografadas.

Curta Diário do Fla no Facebook

Por fim, Jorginho, infelizmente, sofreu um AVC em dezembro de 2019 e em março de 2020 veio a falecer através das complicações da Covid-19. No entanto, apesar da idade avançada, o massagista vivia normalmente com sua família, e ainda integrava a delegação Rubro-Negra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui